Wave Lojas Virtuais - Especializada em Plataformas E-commerce - Tributação e Monetização para marketplaces

Tributação e Monetização para marketplaces
Tributação e Monetização para marketplaces 7/2/2022

Como sabemos, os marketplaces são empresas intermediadoras entre compradores e vendedores.

O IFood, por exemplo, não é uma empresa do ramo de restaurantes, mas sim um serviço que liga somente pessoas querendo comida a pessoas que vendem refeições prontas. 

Portanto, sua forma de ganhar com esta intermediação é através da monetização e seus pagamentos tributários são como uma empresa que presta serviço de intermediação.

Neste post iremos falar destes dois temas que são inerentes a quem quer ser dono de um marketplace ou até já tem o seu, mas precisa entender mais do seu negócio.

Tributação

Primeiramente, como sabemos, os marketplaces estão crescendo exponencialmente nos últimos anos, inclusive impulsionados pelo período da pandemia.

Por isso, é importante saber que como um prestador de serviços a tributação deste modelo de negócio é o pagamento de impostos como:

  • PIS (Programa de Integração Social);

  • COFINS (Contribuição ao Financiamento da Seguridade Social);

  • CSSL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido);

  • IRPJ (imposto sobre a Renda das Pessoas Jurídicas).

Portanto, para os marketplaces não há pagamento de tributos em cima do GMV (transações realizadas dentro do marketplace), mas sim em cima do take rate como é chamado o trabalho de intermediação da plataforma online.

Ou seja, os valores que passam pelo marketplace para pagamento de compras ou aquisição de serviços e outros valores, 

Como frete somente passam pelas contas de ativo e passivo do marketplace, mas não estarão atribuídos em seus demonstrativos fiscais.

O processo parece difícil, mas tendo ajuda de especialistas e sistemas como a Wave Lojas Virtuais tem, você não terá problemas para ter toda sua tributação em dia. 

Monetização no marketplace

Não é somente o comissionamento a única forma de ganhar renda com o marketplace.

Há categorias e nichos que não permitem somente o comissionamento ou mesmo torna-se  impossível de usar.

Por exemplo:

Sites de classificados de produtos de alto valor, como imóveis, é difícil saber o valor real de comissionamento em uma transação, já que o preço do produto a venda irá depender da negociação entre as partes. 

Outro exemplo são plataformas que não tem transações monetárias dentro delas.

Como no caso da OLX, onde os trâmites financeiros são feitos entre comprador e vendedor, ou seja, a categoria C2C.

Se está interessado em saber mais sobre esta as outras categorias de vendas em marketplace, entre neste link e veja o post sobre tipos de marketplace.

Comissionamento em marketplace

O comissionamento em marketplace é uma das formas mais comuns de monetização.

As plataformas como Uber, Airbnb e outros usam esta forma de ganho porque esta foi a  escolha inicial do negócio.

É uma forma lucrativa para o prestador, porque ele ganha sempre que uma transação financeira é feita e para o seller, que oferece serviço ou produtos.

Também não é ruim para o vendedor, pois ele pagará quando vende alguma coisa.

A forma de fazer este repasse que começa no comprador, passa pelo marketplace e entregue ao vendedor pode ser feita de duas formas:

  • Criar uma forma de transação financeira do zero para seu marketplace, o gastará valor, tempo e mão-de-obra de especialistas como desenvolvedores;

  • Usar um sistema de split, que falaremos logo mais neste post, continue sua leitura!

Outras formas de monetização

O modelo de monetização escolhido pelo marketplace vai depender do tipo de produto ou serviços que será disponibilizado pelo site ou app.

Existem 6 formas de monetização. Continue para conhecê-las:

  • Venda direta: é vender um produto ou serviço somente uma vez ao cliente final. Normalmente serão produtos como eletrodomésticos;

  • Venda recorrente direta: entram aqui os serviços que há pagamento mensalmente ou de outra forma personalizada pelo vendedor. 

São serviços de streaming ou clubes de assinaturas (que também tem crescido no Brasil de forma exponencial);

  • Modelo de publicidade: sabe quando você está em um site e vê banners de produtos ou serviços parecidos com o que o site disponibiliza? 

Esta é a forma de modelo de publicidade, ou seja, há espaço para marcas ou empresas mostrarem o que vendem ou fazem para outras pessoas;

  • Assinatura: este modelo de monetização ajuda quem está cadastrado a entrar em contato com mais clientes no período de pagamento. 

Alguns apps de relacionamento como o Tinder e sites de empregos são exemplos de que você tem acesso a algumas funções se você não paga nada para usar.

Mas se você assina com a plataforma tem acesso a outras funções como destaque do perfil, envio de currículos ou likes sem limites e muitas outras vantagens pelo pagamento;

  • Tarifa por listagem: neste modelo de monetização o marketplace precisa ter uma lista robusta para ele conseguir lucrar. 

Normalmente é usado por prestadores que atuam com classificados de empregos, aluguéis de imóveis e outros.

No entanto, não queremos dizer que somente um modelo de monetização entre estes é o certo.

Há casos como o site Etsy, que vende produtos artesanais, que usa o modelo de listagem e o comissionamento.

Para esta escolha, o empreendedor precisa verificar o core do seu negócio e perceber quais oportunidades terá com um ou mais modelos de monetização.

Split de pagamento

Ele é muito importante para você que atua com modelo de comissionamento.

O split de pagamento é uma ferramenta que evita a bitributação.

Pois ela distribui o valor pago pelo consumidor final a todos os envolvidos na venda.

Ou seja, o valor de comissionamento é repassado automaticamente para o marketplace e a parte do vendedor é repassada a ele também. 

Vantagens do Split de pagamento

Assim como falamos que ele evita a bitributação, existem outras vantagens usando o split de pagamento em seu marketplace.

O repasse financeiro é quase que imediato, pois é automatizado.

Os gateways de pagamento normalmente já tem splits junto a suas soluções, o que facilita a entrada dos valores para marketplace e sellers.

Outra vantagem é conseguir solucionar os chargebacks ou estornos de forma simples.

Claro que há um valor nestes casos, que a empresa de pagamentos cobra por transação devolvida e isso pode ser negociado entre prestador e vendedor.

Por isso, indicamos que escolha qual o Gateway de pagamento será mais adequado a seu negócio.

Pois as taxas de comissionamento, valores de estorno e outras taxas são importantes para que todos os envolvidos saiam felizes, com as empresas lucrando e o comprador volte a comprar com seu marketplace.

Conclusão

Por fim, a intenção deste post foi mostrar que existem várias formas de monetização do seu marketplace além da comissão.

Contudo, ela pode ser uma aliada com outros modelos de monetização.

Também trouxemos informações sobre a tributação e as finanças de um marketplace, para sanar dúvidas de quem quer entrar ou já está neste ramo comercial.

Quer mais detalhes de como implantar split de pagamento na sua plataforma de marketplace?

Fale com a Wave Lojas Virtuais que eles têm soluções completas para e-commerces!



Não há comentários para este post, seja o primeiro!
Nome
E-mail
Seu e-mail não será exibido.
Comentário
© Copyright 2022 | Wave Lojas Virtuais - Especializada em Plataformas E-commerce - Todos os direitos reservados
Ei, posso ajudar?WhatsApp
Política de Cookies
Para melhorar a sua experiência, oferecer e melhorar os nossos serviços visando uma maior segurança durante a navegação, usabilidade e interatividade, nosso site utiliza cookies essenciais para permitir a adequada navegação no site. Antes de continuar navegando, importante você saber mais sobre a utilização de Cookies em nossa Política de Privacidade Concordar e continuar