Blog
3 dicas para logística do ecommerce no Brasil
3 dicas para logística do ecommerce no Brasil
03/06/2018

 

Quem tem uma Loja Virtual ou pensa em abrir, sabe que a entrega do produto vendido é essencial para concluir o ciclo de vendas e encantar o cliente.

A crise vivida pelos Correios (principal empresa de logística do Brasil) e ainda com greves de caminhoneiros, o desafio para quem vende por ecommerce é a logística.

Num país continental como o Brasil, precisamos mesmo reinventar o modelo adotado para seguir em frente.

 

Neste artigo, vou abordar diferentes maneiras de fazer a operação logística e ainda citar empresas como os Correios, Fedex, Jadlog e startups que disputam o mercado de entregas.

Leia até o final.

 

3 dicas fundamentais sobre logística no ecommerce brasileiro:

 

Dica 1:

Pontos de coleta

Na Europa, EUA e China essa prática é conhecida, mas no Brasil ainda é uma oportunidade. Alguns ecommerces já estão fechando parceria com outras lojas para serem pontos de coleta.

Verifique se na sua plataforma de ecommerce é possível cadastrar “pontos de entrega”.

No vídeo abaixo mostra uma startup Pegaki que tem facilitado essa atuação.

 

Dica 2:

Entregas locais

O tempo de entrega do produto geralmente é um dos fatores para a compra online. Além disso o custo é levado em consideração pelo comprador.

Dessa forma, algumas lojas virtuais estão tendo sucesso utilizando motoboy, bicicletas e até entregadores a pé.

Um exemplo é a startup Eu Entrego que ganha espaço nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, inclusive entregando nas áreas de risco. O aplicativo faz a ponte entre grandes empresas e consumidor. Já existem 30 mil entregadores cadastrados.

Outra startup que vem ganhando espaço é a Loggi, conhecida nas grandes capitais pelos motoboys que carregam um baú azul e logomarca do coelhinho.

A divulgação regional nas redes sociais tem sido utilizada com sucesso e tem chance de atender o cliente com custos e prazos menores.

 

 

Dica 3:

Gateways de Fretes (consulta de transportadoras)

Já conhecidos no mercado de ecommerce, as startups que unem transportadores aos lojistas virtuais através de uma cotação em tempo real do melhor custo de entrega.

Frenet é um exemplo que integra as Lojas Virtuais com o seu sistema. O serviço é cobrado do lojista virtual, por cotação realizada.

Além das transportadoras, os serviços os "gateways" também oferecem os Correios. Dessa forma é possível cotar e oferecer o menor custo de acordo com o produto e a região que será entregue.

 

Enquanto a realidade dos drones ou até mesmo o transporte de carga dentro de tubos cilíndricos em alta velocidade, usando a baixa pressão (como é o projeto da Hyperloop) não chegam, precisamos buscar novas tecnologias.

Veja o vídeo abaixo do projeto Hyperloop que promete transportar cargas e pessoas a 1200km/h e tem uma planta no Brasil instalada na cidade de Contagem MG.

.

 

Acredito que nos próximos 2 anos, teremos um ecossistema mais bem diversificado com as opções de logística no Brasil.

Os Correios continuam no páreo pela expertise, frota e centros de distribuição em todo país, oferecendo praticamente total capilaridade.

Mas existe espaço para outras empresas privadas e novas idéias para suportar a gigantesca operação de ecommerce que cresce todo ano no Brasil e no mundo.

 

 

 

Artigo escrito por

Éder Melo, especialista em plataformas digitais, palestrante e professor.

 

Contato
contato@wavelojasvirtuais.com.br
+55 31 3427-1012
Copyright 2018 - Wave Lojas Virtuais